Saudade

Voltar atrás no tempo

Como eu queria ter o poder de voltar três meses atrás no tempo, só três meses, até ao momento em que falo contigo no portão da escola bem perto das 11 horas no dia 24 de Maio de 2019. E onde desta vez, não te deixo ir tomar o teu café dizendo-te que entres no carro comigo para seguirmos para casa, mas mesmo assim nada mudaria a tua decisão…É o que os médicos sempre me dizem, se não fosse naquele dia, era em outro.
Viajo todos os dias no tempo, num regresso ao passado, mas a história não muda.
Tenho medo que as histórias se percam no meio de tanta dor e tristeza.
Tenho medo de ficar sem ti na memória e no meu coração.
Como é possível meu Deus, uma pessoa como eu, uma mãe galinha como me chamam, sempre ter tido uma palavra de conforto para dar, incentivar os outros sempre à vida e à importância da energia positiva, e não ter conseguido salvar o meu filho. Não ter conseguido tocar-lhe a alma.
Não ter conseguido que ele aceitasse que precisava ser ajudado, É avassalador demais, dilacerante demais.
Vejam bem, eu não quero saber quem é o mais forte e quem é o mais fraco. Sei porém que nem sempre o mais forte ganha e o mais fraco perde. Todos nós conseguimos ser fortes e ser fracos. É próprio do ser humano e isso nem se discute.
Mas a realidade é que os jovens cada vez mais vivem em depressão, tenho lido muito e visualizado muitos vídeos acerca do mesmo, sei como a minha psicóloga me referiu e muito bem, não vou encontrar resposta ao sucedido. Mas o que é facto é que muitos são os jovens que partilham com os seus amigos este problema. “Não tenho vontade de viver” ” A vida não me sabe a nada”. Contudo, ninguém acredita em ti.
Falas com os teus amigos da morte como quem fala de uma curte e ninguém acredita em ti, até ser tarde demais. Até ao dia em que tu colocas um ponto final na tua vida e destróis todos os que te amam. Sim a tua morte teve um custo enorme, paga-se bem caro, uma fatura eterna de saudade e agonia. E aí sim! Chegam à triste conclusão que deviam ter ouvido o amigo ou amiga com o coração.
Sabes, se me tivesses contado os teus planos eu nunca teria desistido de ti, lutaria até ao fim para te ajudar, nem que te tivesse de amarrar num colete de forças e te internar para te curares.
Nenhum pai aceita perder um filho sem dar luta,
Amo-te Pedrocas minha rocha.

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *