Luto Saudade

Vida versus Morte

Foto de Rute Reis Figuinha

O que ainda ontem eras um milagre da vida, hoje, és a morte estampada no meu rosto.

Não entendes pois não?

O receber da notícia da tua morte já seria de esperar ser uma terrível noticia porque nenhum filho deve morrer antes de seus pais. Afinal tinhas uma vida para viver e escolheste em primeiro lugar morrer.

Contudo quando esta morte é causada por suicídio torna-se ainda mais chocante e aterrorizante. Entramos todos os dias em estado de choque, desesperados com a terrível notícia.

O teu suicídio foi um acto de surpresa para todos nós, família e amigos.

Temos uma dificuldade, em lidar com esta perda repentina e a todo o momento busco respostas para o que aconteceu.

Não encontro uma única justificação para tal desfecho trágico.

Não consigo aceitar esta morte e acredita que cheguei mesmo a pensar que te haviam feito mal. Tens noção das repercussões e do sofrimento que a tua decisão teve na nossa vida?

São marcas que ficam para sempre na nossa mente e jamais serão esquecidas. Lidamos com cobranças e julgamentos da sociedade. A sociedade de alguma maneira necessita de explicações e faz julgamentos precipitados. Colocam o dedo na nossa chaga aberta e carregam como se fosse uma tecla num computador.

Deste modo filhote, é um misto de sentimentos onde julgamos e somos julgados por não termos conseguido evitar a tua morte. Quem me dera ter tido conhecimento que havias recusado ajuda da Doutora de psicologia, quando ela te orientou. Mas quando nos chegou essa informação já era tarde demais para ti e para nós.

São flashbacks a toda a hora, pesadelos e imagens do que aconteceu sem conseguirmos controlar tais manifestações do nosso consciente e inconsciente. São imagens da tua vida e da tua morte durante todos os segundos da minha e nossas vidas sem conseguir superar.

Como eu queria que me tivesses deixado ajudar-te, quando te estendi a mão por mais de uma vez.

Amo-te Pedrocas para todo o sempre, até depois da minha morte.

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *