Amor Luto Morte Pedro Saudade Tristeza

Um diamante no céu

Eu sou uma mãe defilhada,

Este poderoso ser

Que de poderoso não tem nada,

A não ser uma dor de alma

Inigualável.

Eu sou uma mãe defilhada,

Que não desiste de nada

Desde que o meu filho partiu.

Não desisto como ele desistiu,

Escondendo-se na amargura

De um pensamento doentio,

A que chamamos de depressão.

Eu sou uma mãe defilhada

Que acorda a meio da noite

Com um aperto no coração

Por mais um dia,

Privada do seu filho.

Eu sou a tua mãe,

Aquela que jurou manter-te vivo

No meu coração enquanto viver.

Aquela que jamais em dia algum te irá

Esquecer enquanto o sol me aquecer

E a lua iluminar as pedras da minha calçada.

Eu sou a tua mãe,

Uma mãe defilhada,

Aquela que sente imenso a tua falta,

Aquela que chora amargura,

Por não poder contemplar

Mais um sorriso teu,

E tudo o que tu eras para mim.

Eu sou uma mãe defilhada,

A tua!

E tu és para mim um diamante no céu!

Com amor e uma terrível saudade,

A mãe do meu filho tem asas.

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *