Amor, Esperança, Gratidão, Luto, Pais, Pedro, Saudade

Tenho um desejo!

Tenho um desejo!

Não é um desejo qualquer, mas é um que me move todos os dias e mesmo que não publique diariamente um texto na pagina da Internet, https://omeufilhotemasas.pt/, fica escrito no papel. Outros dias, partilho dois ou três.

As palavras fluem tão rapidamente na minha mente que me apresso a deitá-las no papel. Nem sempre me é possível andar com o caderno debaixo do braço e por isso agarro na primeira folha que encontro ou no telemóvel e tomo nota de todas as palavras, virgulas e pontos finais que unidos formam os textos que partilho com todos vós.

O desejo que tanto vos falo é o de escrever um livro, onde homenageio o meu filho e falo sobre a depressão, o luto por suicídio, o suicídio em si e o amor que sinto pelo meu filho que partiu, falo igualmente sobre a vontade de viver.

Tenho notado que o meu público cresceu, todas as semanas cresce e por isso vos deixo o meu agradecimento mais profundo e sincero. Noto uma grande aderência por parte do povo Brasileiro que tanto interagem comigo.

Tenho plena noção que a minha página é uma página carregada de dor e tristeza infinita e reconheço que nem todos têm a capacidade para a entenderem ou sequer para lerem os textos que publico nela. Mas que me perdoem os mais sensíveis, uma vez que este é o caminho que quero levar.

Tenho publicado igualmente textos de esperança e coragem para os que deles precisarem! Confesso-vos que também eu sou leitora assídua dos meus textos, de forma a darem-me a injecção que preciso em muitos momentos.

Depois de muito meditar, em tudo o que aconteceu, conclui-o que a minha missão de alma é poder levar até vós, aos que verdadeiramente precisam de mim, uma palavra de incentivo, um pouco de amor, empatia e calor humano.

Se entretanto morrer e não conseguir editar o meu livro, ficam os cadernos escritos por mim, alguns textos inéditos que não publiquei, outros textos escritos em Word e a página https://omeufilhotemasas.pt/, onde poderão continuar a ler o que deixo de mim para vós.

O luto e tudo o que o envolve são intemporais.

Tudo o que envolve o ser humano perante esta dor, continua estando presente apesar de terem sido escritos em textos há dois séculos atrás.

Já eu, não estarei cá daqui por dois séculos para poder falar a viva voz a dor que me consome nem todo o processo que me envolve neste luto e é por isso que deixo por palavras tudo o que sinto e vivo com a morte do meu filho Pedro.

Por isso sim!

Ouvi as vozes que me pedem diariamente e pessoalmente para que escreva um livro.

Um livro que possam ter sempre presente nos momentos que mais precisarem de uma voz que sabe o que sentem.

As palavras na minha mente, desde que o meu filho morreu, fluem como a corrente de um rio, sem pedirem licença, não me deixam descansar. Não sei de onde vem esta força, mas agradeço-a plenamente e abraço-a com toda a minha vitalidade.

Já vos disse outrora que enquanto eu escrevo, eu processo e canalizo toda a mágoa e ausência do meu Pedro através da força das palavras.

Obrigada!

Obrigada a todos os que me acompanham e fazem sentir menos amargurada.

Gratidão aos que me incentivam a escrever quando me oferecem um caderno para o efeito.

Com carinho,

A mãe do meu filho tem asas

Foto de Rute Reis Figuinha

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *