Saudade

Sinto-me amputada!

Sinto-me amputada!
a vida não tem sabor a nada!
Passam o tempo todo a dizer, tens mais dois filhos!
Tenho sim e que Deus me permita te-los sempre até ao dia da minha morte.
Mas…eu tinha três!!!!!
A vida não me sabe a nada, Não tenho forças!
Preciso de ti!
Esta está a ser a maior prova de resistência que alguém me poderia colocar no meu caminho, não sei se aguento Pedro.
Todos os dias os meus bons dias para ti não tem resposta meu amor.
Sim tenho uma vida pela frente…mas como vou vive-la sem ti?
Estou esmagada! Olho para o teu sorriso e por mais que tente não percebo. Não percebo Pedro e isso mata-me por dentro todos os dias mais um pouquinho.
As tuas roupas que guardo, cheiro-as todos os dias, as tuas musicas oiço-as com atenção, os teus testemunhos leio e releio e não percebo como…
Não era suposto ser assim Pedro!
Não era suposto ficar sem ti!
O fato de pensar de te ver crescer e quereres a tua vida, só isso já me doía e tu sabias, como vou eu viver sem a tua presença até ao dia em que eu partirei, Diz-me!
Amo-vos todos por igual! Todos da mesma forma! sem tirar nem por uma virgula! Mas nenhum substitui nenhum meu amor!
Que atrocidade!
Que angústia está o meu coração!
Como pode uma mãe suportar tal ausência????
Diz-me Filho! Ajuda-me! pff…
Jamais conseguirei apreciar a vida da mesma forma, eu que sempre disse que amava viver…amava.
Amar-te-ei eternamente meu Pedro!
Saudades de perder de vista meu amor!

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *