Amor, Auto-ajuda, Esperança, Luto, Pais, Saudade, Tristeza

Recupera a tua alegria

Recupera a tua alegria.

Ser alegre é fundamental numa vida que sempre julgamos ser injusta devido a vários factores que nos leva a essa conclusão. Mas apesar de todos esses percalços, é importante usar o poder do amor, por nós, pelos outros e assim crescermos espiritualmente. Manter o equilíbrio é fundamental, mesmo quando todas as forças te parecem falhar.

Eu tenho muitos dias em que me falta a força, confesso. Mas também tenho os momentos em que me obrigo a reagir mesmo perante a dura realidade do meu filho Pedro ter partido naquele maldito dia 24 de Maio de 2019.

Não! Não é uma realidade que eu já tenha aceitado. Vou aceitando, vou educando a minha mente a aceitar o que é inaceitável, que é a ausência de um filho ou de uma filha na nossa vida.

Algumas pessoas ficam confusas com a minha atitude. Umas com a exteriorização da minha dor na página do meu filho tem asas, partilhada no facebook, outras com a forma de como encaro o meu luto, outras porque esperavam ver uma pessoa sombria, coisa que nunca fui e nunca serei. Porque a nossa mais pura essência, não a aniquilamos, simplesmente a mágoa é tão grande, que leva muitos dos seres humanos a não conseguirem separar a luz que os define da dor que torna os seus dias sombrios.

É nisto que eu tento ser diferente e fico imensamente feliz quando encontro outras mães e pais que como eu, encontram um propósito de alma para continuarem tentando ser o que um dia já foram.

Se tenho dias em que penso:

“Quero que tudo se F#da?”

Sim tenho!

Eu não sou diferente de vocês!

A única coisa que tenho e vivo de diferente, é a perda física de um filho. Nada mais!

De resto? Tenho Problemas, desgostos, tenho sonhos, tenho desejos, tenho tristezas, tenho gostos, tenho alegrias, tenho ambições, tenho medos, tenho revoltas, e tenho acima de qualquer coisa presente na minha vida, uma força que me comanda e não me deixa desistir nunca.

Tenho o amor por mim mesma.

Eu amo-me!

A alegria na minha vida era um estado natural, e por favor não confundam alegria com felicidade, porque conforme já vos referi, a felicidade são pequenos fragmentos que a vida nos proporciona, impulsionados pelas nossas escolhas.

E mais uma chamada de atenção vos deixo! Não disse que não era feliz, na verdade era, e por na minha mente ser tudo assimilado como um dado adquirido, nem sempre me apercebia que era portadora de uma felicidade maravilhosa. Esse é o erro de muita gente e foi igualmente o meu.

Damos tudo por garantido e a verdade é que nada na vida é garantido. Só mesmo a morte. Essa não falha, seja mais cedo ou mais tarde, ela marca a sua presença.

Por isso sim!

A esta altura da minha vida, olho para dentro de mim e alegro-me com as vitórias que vou alcançado, porque nada está terminado, a vida continua, assim como a vossa e o nosso bem estar somente depende do nosso poder de compreensão e aceitação.

Se viveres em virtude da tristeza, em que acreditas que a tua vida se tornou com a partida do teu filho ou de tua filha, não irás conseguir realizar mais nada na tua vida. A tristeza e a amargura irão apoderar-se da tua forma de viver e irão comandar a tua vida e a dos que te rodeiam.

Não te esqueças de que tudo e todos estão interligados. Tens que ser firme ao teu propósito de vida!

A vida é demasiada curta para que não aproveitemos cada momento que ela nos concebe de forma a sermos felizes.

Escolhe sempre o que te deixa feliz, pratica sempre o que te deixa completo e não dês demasiada importância aos pensamentos de negação, ou a palavras proferidas por seres que não te conhecem de verdade.

Segue o teu propósito de vida e contempla os teus feitos com o mesmo amor que partilhaste com o teu filho ou filha.

Não te esqueças que eles observam cada passo, cada decisão que tomamos e que são muitas das vezes eles quem nos empurram para o caminho certo.

Não tenhas medo de sorrir!

Não tenhas vergonha de seres tu mesma, tu mesmo.

Encontra o teu equilíbrio e abraça esta luta diária de te manteres viva e vivo.

Deves isso ao teu filho!

Deves isso à tua filha!

Deves isso a ti mesmo e a ti mesma.

Desistir nunca!

Com carinho,

A mãe do meu filho tem asas

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *