Morte Pais Suicídio

Quando pensas não ter mais solução

Sabes aquela voz que te persegue?

Aquela voz que não te deixa descansada?

Manda-a bugiar! Manda-a à merda por favor!

Tens muito para viver e não tens que ter força para vencer todas as dificuldades.

E muito menos tens que carregar nos ombros o peso do mundo que sentes carregar. Pede ajuda a alguém que te ame.

Recentemente a minha médica disse-me com todas as letras.

“Rute, podes tentar ajudar todas as pessoas que chegarem até ti a pedir ajuda. Mas atenção!

Tem presente uma coisa muito importante.

A pessoa pode não ter força para continuar. E por muito que te custe, vai chegar o momento em que apesar

de tudo se ter feito para ajudar essa pessoa. Ela vive naquele impasse entre a vida e a morte, em que a morte lhe ganha.”

Apesar destas palavras da minha doutora a minha resposta foi de que não vou desistir de tentar. Assim como tu, que lês este texto. Tens força dentro de ti, e não vais desistir.

Vais-te olhar ao espelho todos os dias e vais dizer em voz alta, o quanto te amas, o quanto és importante e o quanto vais ser capaz de vencer essa tristeza.

Eu gostava de ter o poder para evitar o desespero que leva o jovem ou adulto a desistir de tudo.

Creio que vocês também.

Afinal, quem é que defende o suicídio? Só quem mesmo desiste de tudo porque não consegue encontrar saída para o seu sofrimento.

Não acredito mesmo que o sofrimento acaba para quem se mata! Tenho lido imensa coisa que me comprova que o sofrimento persiste e em grande escala.

A alma tem que ser curada e irá passar por um longo processo de auto cura.

Consegues-te imaginar a perdurar por toda a eternidade sem a luz brilhante do sol, do calor que aquece a tua pele, de sentires as gotas da chuva no teu rosto?

Sem poderes tocar em tudo o que é papável?

Eu não estou a brincar! O assunto é muito sério mesmo e lamento que em Portugal ainda pouco se faça acerca deste assunto.

Tenho a plena noção de que ouvires estas palavras ou lê-las, podem de facto ser indiferentes para ti, afinal se já vives neste sofrimento a algum tempo, nada de novo escrevo aqui, a não ser que os teus pais e amigos vão sofrer horrores com a tua partida ou os teus filhos se virem um dos seus pais colocarem um termo à sua vida por não  visualizarem uma saída para continuarem a viver a seu lado.

Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do caminho.

Uma frase, muita vez usada de forma a trazer-nos consolo, a mães e pais desfilhados com o coração carregado de dor em que o sofrimento é impossível não acontecer de forma natural. Oiçam bem!

Não é do outro lado que nós queremos quem amamos.

É aqui! Ao pé de nós, vivendo diariamente, alcançando sucessos diários e insucessos. Porque a vida é mesmo assim. Ela não teria gosto a vitória se tudo fosse dado de mão beijada.

A vida continua!

Sim é um facto! Apesar de ser uma horrível frase da qual não precisamos ser relembrados.

De facto a vida continua. Mas sem um filho ou até mesmo sem o único filho. Sem o seu sorriso, sem a sua presença carnal.

A vida continua para todos, menos para ele, e a nossa vai sobrevivendo do conta-gotas que a nossa força nos vai permitindo aguentar.

Pensa nisto.

Com carinho,

A mãe do meu filho tem asas.

Foto de Rute Reis Figuinha

 

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *