Saudade

Perda

Com a perda do meu filho Pedro, aprendi a relativizar o que não tem importância, contudo não nos impede de vivermos com uma angústia permanente
Queremos a toda a hora encontrar respostas para o que aconteceu e não chegamos a nenhuma conclusão.
Sempre pensámos que tinhas tudo o que um jovem precisa para ser feliz.
Enganaste-nos a todos muito bem meu amor.
A dor da tua ausência agonia-nos todos os dias e falo por mim quando digo que não quero ficar uma pessoa amarga nem vazia por dentro.
Eu estou cá! Tenho de viver e tentar ficar de bem com a vida.
Quando se viram para mim no dia-a-dia e me dizem “tem que ter força, é a vida’, respondo prontamente “não! A vida não é isto, isto é a morte”.
Viver é poder utilizar a matéria com a qual descemos á terra e com amor cuidar da mesma.
E tu filhote eras lindo, vaidoso como eu te ensinava a ser.
Aos meus olhos eras como um Deus para mim.
Eu era vaidosa por ter um filho lindo como tu e amava passear contigo pelas ruas, ser vista contigo era para mim um motivo de orgulho.
Como uma mãe coruja, nossos filhos são sempre lindos aos nossos olhos e o meu era.
Ainda parece que te vejo caminhar ao meu lado com o teu andar quase em bicos de pés.
Um andar vaidoso que tu tinhas.
E gostavas de ouvir quando diziam que eu parecia tua namorada.
Ria-mos os dois e o nosso olhar era terno na sua completa essência. Quanto eu te amo meu amor.
Tenho tantas saudades tuas meu querido.
Amo-te e amar-te-ei eternamente. 💙

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *