Amor, Esperança, Gratidão, Luto, Morte, Pais, Pedro, Saudade, Sinais, Suicídio, Tristeza

Palavras que só o meu coração escuta

Eu reclamo o meu direito a ser feliz!

Ser feliz enquanto viver!

Depois de morrer não é tão importante assim, talvez porque acredito que a felicidade do outro lado seja uma verdade constante, tendo em conta a nossa verdadeira essência.

Mas temos que ser pacientes.

Acredito que todos os que já morreram descobriram que as suas vidas continuam em outra dimensão.

Acredito que os que partiram na nossa frente não esperam que paremos de viver porque eles não estão mais aqui.

O ciclo da vida neste plano terminou para eles. Não para nós.

Tenho consciência que muitas vezes e envolvida pela dor, eu proferi  que eu morri no dia em que o meu filho se matou, mas não é assim que eu me devo sentir.

A vida terminou para ele não para mim.

Sou capaz de ouvir quase que por magia, o meu filho Pedro dizer para mim, dando-me a força diária para eu resistir à dor e à saudade.

Palavras que só o meu coração escuta.

-“Mãe! A vida não acabou para ti e nem para mim. A escolha como tu a vês, foi minha e não tua. Por isso tens que aproveitar ao máximo a vida que tens à tua frente. Não tomes a minha morte como sendo tua mãe! Essa morte é minha! Sê livre! Vivendo. Não cometas o mesmo erro que eu, onde a minha sede por ser livre era imensa e onde eu só desejava essa liberdade. Tendo escolhido o caminho da morte como solução para a resolução dos meus problemas.

Descobri Mãe! que afinal eu não tinha verdadeiramente nenhum problema. As contrariedades da vida, os meus conflitos pessoais, o querer ser responsável e no entanto não aceitar ser responsabilizado pelas minhas escolhas e acções é que me levou à escolha que viria a ser marcante nas nossas vidas.

Mãe! Eu descobri que a liberdade é muito mais do que ansiamos enquanto seres humanos. A liberdade é quando tu descobres a ti mesma e vives em pleno a tua essência.

Mãe! Descobri o quanto importante eu fui e sou para ti, para o pai e para os manos. Descobri o impacto que tive na vida de cada um que fez parte de todos os acontecimentos da minha vida. Lamento profundamente o impacto negativo que a minha escolha teve em cada um de vós. Não pensei direito! Não pensei com clareza e acabei tomando uma escolha que viria a mudar a vida de todos os que me amavam. A ideia que defendemos quando decidimos que não iremos fazer falta a ninguém, que acabará o sofrimento e de que não amávamos o suficiente a vida e tudo o que nos rodeava era triste e insignificante. Não podia estar mais errado Mãe!

Descobri isso quando morri!

Mas para mim já é tarde, mas não é para ti e para os que te lêem e desabafam contigo. É por isso que vos deixei palavras de amor, onde vos declarava um sentimento tão nobre como o meu amor por vós naquele caderno. Sei que é dificil para ti mãe, acreditares que como pode um filho amar tanto os seus pais e seus irmãos e mesmo assim desistir de tudo.

Era a dor, mãe!

A falta de amor nas coisas que me rodeavam. A falta de confiança num futuro que para mim estava sem rumo e sem luz. Não pensei correctamente e hoje lamento-o, quando vos vejo a chorar, quando sinto o peso de cada uma das vossas lágrimas. Quando as vossas palavras entoam neste lugar onde me encontro. 

Não chega, pois não?

O meu arrependimento não me devolve à vida, não apaga da vossa memória todo o meu sofrimento naquele corpo já quase sem vida. Não apaga da vossa mente as imagens da despedida.

Eu sei mãe. E é por isso que já te pedi perdão tantas vezes mesmo que não as consigas ouvir.

É por isso que sempre que posso, te envio uma borboleta para que por breves momentos, possas contemplar a vida e sorrires cada vez que elas passam por ti e tu me agradeces pela minha visita.

Obrigada Mãe, por aceitares com o teu coração cada manifestação do meu amor por ti.

Amo-te Mãe!”

Amo-te Filho!

Com uma enorme saudade,

A mãe do meu filho tem asas.

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *