Amor Gratidão Luto Morte Pedro Saudade Suicídio Tristeza

Obrigada Otilia Mota pelo gesto de carinho

E quando um filho ganha asas e voa ao Céu, porque escolheu voar

Olho o teu sorriso. Penso: Quantos te olham e não sabem da tua dor! Quantos não sabem quanto pesado é o teu fardo. Quantos não sabem que já perdeste o chão. Que há dias em que te apetece fechar-te em ti e viveres a tua dor. Há outros que te apetece desabafar. Que há dias em que, simplesmente, te apetece ficar triste. Que há dias que trazes no peito o pranto abafado, outros em que te apetece mesmo chorar. Que há dias que só vês nublado. Que há dias que te sentes naufragar. Que há dias que te sentes perdida. Que há dias em que não te apetece levantar… Que, todos os dias, tens por companheira a saudade, porque todos os dias teima entrar…Que todos os dias vives com um ” porquê ” e nunca sabes a resposta.
Mas há os que sabem da tua dor. Os que sabem que perdeste o chão. Há os que sabem da tua força e coragem. Há os que sabem da tua saudade.

Tão pouco te posso dar, Rute. Tão pouco, para um coração tão magoado. Mas, a meu jeito, caminho a teu lado. Quantas vezes te abraço em silêncio!
Vai devagarinho, Rute. Um passinho de cada vez. Acredita que, um dia, a dor vai acalmar. Devagarinho, deixa que se arrume a um cantinho do coração para te deixar continuar.

O teu Pedro ganhou asas e voou ao Céu. Já não pode voltar. Mas foi lindo o que juntos viveram. As suas risadas. Os beijos que te dava. Eram únicos. As vossas caminhadas. As suas ternuras.
Não te culpes pela sua partida. Nem por um momento foste má mãe. Nunca te faltou amor para lhe dar. O teu Pedrocas continua a ter muito orgulho em ti. O vosso amor foi único. Nada apaga o que ficou gravado no coração.

E que ninguém te culpe pela sua partida. Que ninguém diga que não estavas atenta. Um dia, qualquer um de nós poderá estar no teu lugar. O teu Pedro nem por um momento te culpou. Há coisas que uma mãe não sabe explicar. A culpar que se culpe a sociedade. Algo vivemos de errado. Todos somos um pouco culpados. Todos somos culpados do vazio que se vai instalando nos corações e leva ao desinteresse pela vida.

Que a partida destes jovens não seja em vão. Que não seja em vão esta dor no coração de uma mãe. Que nos toque também. Talvez seja uma chamada de atenção a toda a sociedade.
O mundo precisa de mais amor. De muito mais.

Abracinho Rute. És GRANDE.
Otilia Mota

Obrigada Otilia Mota
Quando um filho ganha asas e voa ao Céu, porque escolheu voar, tudo em que acreditávamos desaparece da face da terra. Tudo o que acreditávamos dar a este ser é colocado em causa. Tudo o que acreditávamos ser possível realizar com o poder do amor é para sempre abalado.
Não conseguimos arranjar justificações que sustentem a sua escolha, porém acreditamos que a sua dor em não ver realizado tudo o que ambicionava seja a justificação mais verdadeira para o que ele sentia, levando-o ao desespero. Se justifica? NÃO! Mas o Pedro somente queria ver aniquilado aquele sentimento de impotência face a uma série de obstáculos com que se foi deparando, fazendo com que a ultimo acontecimento que se abateu na nossa família fosse para ele decisivo à sua colocação de fim à vida. É muito complexa a mente humana e difícil de compreender muita coisa. Morrerei sem entender porque não aceitou ser ajudado, se nos tinha a seu lado atentos ao que ele sentia. Não aceitou ajuda de ninguém e agiu sem medir as consequências do seu acto, que viria para sempre a mudar o percurso de nossas vidas.
6 meses faz hoje que ele partiu! Às 19:11. 6 meses todos os dias acrescentar a falta que ele nos faz em nossas vidas.
No teu texto Otilia mencionas algo que eu mantenho sempre presente no meu pensamento, e que poucas pessoas se dão conta por andarem tão atarefadas com as suas vidas, que julgam sem pensar – Um dia, qualquer um de nós poderá estar no teu lugar. – Tão verdadeiro.
Depois que o meu filho decidiu partir, já soube de mais 4 ou 5 casos de jovens que tiveram a mesma decisão.
As pessoas no geral, pensam que as famílias são negligentes, que não estão atentas aos seus filhos, aos jovens de maneira geral. Mas é aqui que eu afirmo de pés juntos que não poderiam estar mais enganadas!
A Depressão esconde-se por trás de um sorriso, de uma gargalhada, de uma vida agitada. E o gatilho surge em qualquer momento das nossas vidas, seja em terceiros, seja em nós mesmos. E enquanto não se tiver isso bem presente, mais jovens irão continuar a morrer desta forma. Por suas escolhas!
Morre-se por amor. Morre-se por desgosto. Morre-se por solidão. Morre-se por desistirmos de lutar. Morre-se porque nos morreu um filho. Morre-se porque nos morreu um pai ou uma mãe. Morre-se porque não se concretizou um sonho. Morre-se porque se perdeu um amigo. Morre-se porque fomos traídos por alguém. Morre-se por desespero. Morre-se porque já vivemos mortos por dentro!
Esta é a mais dura realidade que ninguém está livre de viver e que se recusa aceitar!
6 meses em que me envolvo de memórias onde ele sorri e ri à gargalhada, contudo a duvida sempre permanecerá. Estaria ele feliz de verdade em todos esses momentos que ele mesmo partilhou?
Com um profundo agradecimento a ti Otilia Mota.
Com um amor interminável pelo meu filho e uma saudade que jamais findará.
Amo-te Pedrocas minha rocha.

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *