Amor, Gratidão, Irmãos, Luto, Pais, Pedro, Saudade

O teu sinal no dia dos namorados e um dos teus locais favoritos

Sabes o que fui visitar hoje filhote?

Um lugar que era especial para ti e para o mano David,

Aquele local verdejante e envolto da natureza onde tu adoravas passar o teu tempo refugiado nos teus pensamentos e envolto das vossas brincadeiras de irmãos.

O teu mano David há já alguns dias que nos vem falando da vontade que tem de voltar a passear connosco, como fazíamos anteriormente à tua partida.

O tempo não tem estado propício a isso e confesso que nós também não, mas hoje foi diferente.

– “Tenho saudades dos passeios que fazíamos em família, quando íamos acompanhados do nosso Bonnar ou quando agarrávamos nas nossas bicicletas e íamos pelo mato dentro somente a contemplar. Sei que o mano morreu, mas podemos e devemos voltar a fazer o mesmo. Tenho saudades desse tempo.”

Estas palavras não me feriram, mas deixaram-me pensativa, porque de facto o David tinha razão, modificaram-se algumas formas de estar que tínhamos antes, e hoje não temos mais, porque nos faltas tu e isso magoa todos profundamente.

Mas lá fomos. Num passeio, uma ida pela mata, contemplando as mudanças que o homem provoca e que a natureza teima em modificar.

Íamos tranquilos, quando o David nos questiona, se queríamos visitar o local onde vocês dois passavam imenso tempo, onde projectavam a vossa casa na árvore para fugirem aos vossos pensamentos., onde faziam os vossos vídeos para mais tarde recordarem.

Sentimos nostalgia, um silencio se apoderou de nós. Na minha mente unicamente persistia, que tu tinhas tocado naqueles ramos, que havias colocado aquela estrutura daquela forma, que ali naquele espaço alheio a muitos, tinhas os teus sonhos.

Fiquei contemplando. O pai suspirava de saudade, de dor, de amargura por não te ter ali naquele preciso momento.

Eu imaginava-te a colocar tudo como encontrei, imaginava e sentia a tua energia ali, e sabia-o dentro de mim que irá passar a ser um local onde eu escolherei para meditar, contemplar, me esquecer que um dia tudo terminou com a tua partida. Vou olhar para aquela estrutura e vou imaginar a casa na árvore mais linda de todos os tempos.

Obrigada meu querido David por teres partilhado comigo esta memória que nunca esqueces. Obrigada por me teres levado a conhecer este sítio que tudo tem de maravilhoso e pleno.

A ti meu filhote Pedro, quero agradecer-te o teu sinal no dia 14 de Fevereiro.

Um dia que é celebrado com amor por todos de uma maneira especial, e que para mim teve um significado ainda maior este ano.

Tive um dia normal no trabalho e quando fui ter com os meus meninos de tarde, enquanto lhes dava o lanche, fui estando ocupada. Mais tarde quando fui limpar a bancada sou surpreendida com uma pena branca pequena.

O meu coração enalteceu-se de alegria e vi naquele momento que tu estavas ali presente e bem perto de mim. Senti um arrepio na pele que percorreu todo o meu corpo e em silêncio te agradeci pelo presente.

É um dia em que se celebra o amor e tu do teu jeito mostraste-me o quanto me amavas. Não o disse a ninguém. Somente o partilho hoje porque o teu irmão David, hoje deixou-me de coração mais quente.

Ainda nesse dia, tive uma avó de um menino que eu gosto muito, que me pediu um abraço. No momento não entendi logo e fiquei um pouco sem jeito, mas depois entendi do que se tratava. Disse-me que me acompanhava na página do meu filho tem asas e me desejava imensa força. Que sabia quem eu era, e que a sua filha também me seguia. A senhora emocionada, pediu-me desculpa pelo abraço dado e agradecia-me ao mesmo tempo, porque havia gostado imenso de mo dar. Na verdade, quem lhe agradece sou eu. Fui eu quem foi presenteada com aquele momento e não o contrário.

Todos os dias são momentos diferentes que vivo sempre com a tua memória presente na minha vida. Sempre te mantendo vivo no meu coração,

Amo-te e amar-te-ei para todo o sempre meu querido filho e a tua falta é sentida por todos os que te amam verdadeiramente.

Com saudade e um profundo agradecimento,

A mãe do meu filho tem asas.

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *