Amor Gratidão Luto Morte Pedro Saudade Tristeza

O teu caderno

Um telefonema!

Um telefonema do Ministério público. Uma voz doce do outro lado me questiona se sou a Rute Figuinha, respondo afirmativamente e no mesmo instante a Sra. me informa que o teu caderno já se encontra liberado para me ser entregue.

Não sei se é de alegria que o meu corpo estremece, se é de medo pelo que vou poder ler no mesmo.

Um conselho é-me dado!

Não ler o caderno enquanto o meu coração não tiver sarado. Respondo de imediato que farei unicamente o que o meu coração me pedir no momento em que terei o ultimo testemunho do meu filho nas mãos.

Se encontrarei lá respostas, não sei. Se me irá reconfortar, não faço a menor ideia. Se tenho medo? Sim tenho, não sei como irei reagir, não sei o que irei sentir.

Que me perdoem os olhares indiscretos e os falsos juízos de valor, mas neste momento tenho o direito de sentir o que sinto.

Saio do tribunal de Alenquer com o caderno debaixo do braço. O meu corpo reagiu ao gesto do simples passar do caderno para as minhas mãos. Um calor apoderou-se do meu corpo e o meu coração começou a palpitar.

Procurei refugiar-me, mas não me foi possível no momento em que procurei uma amiga, ela encontrava-se a descansar. Assim sendo, resolvi tomar um café e tentar relaxar.

Caminhei muito devagar sem rumo certo e na minha mente só pairava uma imagem.

Descalçar-me!

Procurar um espaço com relva, tirar os chinelos e sentir a energia do fresco da relva na planta dos meus pés. Caminhei lentamente com o sol a incidir em mim até ao jardim da Romeira.

Ali estava o sítio perfeito, onde eu iria encostar-me e ganhar forças para começar a mais difícil leitura da minha vida. Pelo menos que eu saiba.

Tirei uma fotografia ao teu caderno em contacto com a relva de um espaço onde tu já brincaste muito e jogaste quando frequentavas os escoteiros.

Aninhei-me junto à árvore, cruzei as pernas e disse para mim mesma:

“Rute, chegou o momento de estares a sós com o teu filho, com o que ele te deixou como herança.”

Li umas dez páginas! Confesso que não pensei que tivesse escrito tanto. Ele tinha mesmo a quem sair, e essa veia herdou-a de mim Escrever e ler. Deixar registado os seus momentos.

Contemplei os escritos do meu filho, porque é absolutamente apaixonante e ao mesmo tempo amargo tudo o que ele escreveu. E como vos disse ainda só li dez páginas.

A ti meu amor, só tenho mesmo a dizer-te que te amo. Amo-te com toda a minha alma, com toda a minha saudade e orgulho que sempre te disse ter de ti.

Sei que vou ficar muito triste e angustiada, não propriamente com o que poderei vir a ler no que escreveste, mas sim porque foram os teus últimos escritos, as tuas últimas partilhas.

Tenho imensas saudades tuas Pedrocas. Amo-te hoje mais do que ontem e muito menos do que amanhã.

Com amor,

A mãe do meu filho te asas.

Foto de Rute Reis Figuinha

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

3 Comments

  1. Comecei ver seus posts , e que mulher guerreira. Te admiro por sua força. Bji

  2. Eliane Dourado de Souza says:

    Tudo o quanto queria eu ter em mãos… O caderno do meu filho 🥺😪
    Mas este me foi levado e perdido,em meio aquele dia chuvoso e completamente conturbado…
    Nunca pude imaginar que tudo aquilo estava acontecendo diante dos meus olhos… Não sei nem como a notícia se espalhou tão rápido e de onde apareceram tantas pessoas…
    Foram mais de 8 horas para retirarem meu amor daquela corda💔😪… Polícia, Perícia, IML… Eu em estado de choque,sem chão!! Levaram tudo o que disseram precisar como provas, Eu ouvindo burburinhos de vozes que até hj não sei de quem são… Suicida… Suicida…
    Hãn… Eles não sabem de nada!! Eu ainda fico a me perguntar: Porque? Porque? Lembro-me do teu sorriso naquela foto!!! A última que me enviaste de Madrugada… Algumas horas antes,,,vc me fez sorrir!! Tudo tão Surreal… Como eu poderia imaginar que as 10:59 am vc me disse *mãe… Me perdoe de coração ❤️* era tua última mensagem…
    Ain, no fundo eu senti! Entrei em desespero, larguei o trabalho, larguei tudo e corri para casa!! Aaah como liguei … E vc não atendeu!! Foram os 40 minutos mais longos que já vivi… Agonia de chegar,mas no fundo eu pedia com muita força a Deus que vc estivesse bem🥺💔
    26/02/2020… Quarta-feira de cinzas… Dia chuvoso, cinzento!! Te procurei pela casa toda 🥺😪
    E por fim… Alguma coisa me fez ir até o corredor atrás da casa… Meu mundo caiu,meu coração parou… Não podia ser isto!! Esta cena do meu último encontro contigo Filho! Não me sai da memória 🥺😪💔
    São 11 meses quase… E eu ainda tenho tentado descobrir,o que fizeram com os teus cadernos… Pois me lembro de tê-los sempre a vista!!
    Levaram… Hj luto para respeitar tua vontade, lembro-me sempre da tua voz dizendo_ Mesmo não estando aqui… Estarei sempre por perto Mãe*
    Eu ficava tão brava com a ideia de um dia vc me deixar!!
    Te abraçava e te dizia, vc nunca vai estar distante, porque eu não vou soltar tua mão!!
    Me enganou,enganou a todos… Estava tão bem,estava sempre sorrindo… Acreditei na cura!!
    E te perdi… Vc vive aqui dentro do meu coração ❤️…
    Foram 19 anos e 6 meses junto a ti… Meu caçula 😪,meu melhor amigo, companheiro de tudo! Pois quando todos saiam ou estavam ocupados demais… Vc estava comigo,nunca me deixou… Trabalhávamos juntos!!
    Vc não pode imaginar o quanto foi difícil voltar a oficina,ligar as máquinas,cortar ou bordar um tecido novamente… Vc não estava lá! Hj tenho passado maioria do meu tempo dentro da oficina… É aonde fico bem,aonde de alguma forma te vivo… Hj achei uns desenhos teus!! Quanta saudade… Era abilidoso em criar!! Juntei teus lápis de cores na tua pasta… E guardo com carinho!! Talvez um dia eu tbm volte a desenhar…
    Olha só aonde vou com meus pensamentos e saudades😶
    Comecei a ler a página de tanto Amor… E por fim,viajei em pensamentos e saudades do meu filho!
    Obrigada por dividir este teu amor e coragem…
    Me perdoe o desabafo 🥺💔
    Acabei por esquecer o que iria escrever… E escrevi como se fosse para o meu filho…
    In memória…
    Venício Alexandre da Silva Neto
    12/08/2000+26/02/2020
    Meu Negoooooo ❤️
    Era assim mesmo que eu o chamava!!
    Depressão mata 💔
    Levou de mim meu Anjo…

    1. Rute Reis Figuinha says:

      Querida mãe lamento imenso a sua perda e da forma como foi. Esta página é para si e para todas as mães que dela precisarem.
      Sinta-se em casa.
      Beijinho no seu coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *