Depressão Pais Tristeza

Homem e Mulher da máscara!

Porque vives mascarado (a) o tempo inteiro?

Porque não deixas que te vejam tal com tu és?

Que medo é esse que te suga a energia e te aprisiona dentro da ilusão de não conseguires ser feliz.

Eu não quero o teu pedido de desculpas.

Não quero ler um desculpa, mas fui fraco (a). “Desculpa, mas não aguento mais”.

Não!

Eu não consigo salvar o mundo!

Mas posso tentar contigo, mas não consigo sozinha se tu não ajudares.

Posso ouvir-te! Posso estender-te a mão todas as vezes que dela precisares, mas tens que a agarrar com força e não a podes soltar!

Caga no preconceito!

Caga no medo!

Caga na desilusão!

Caga na dor!

Caga nas noites mal dormidas!

Caga em tudo o que te sugar a energia, mas não desistas de ti!

Não desistas do teu filho, não desistas da tua filha, não desistas dos teu pais, da tua família, mesmo que vivas sentido que eles não estão lá para ti.

Resiste!

Persiste!

Reage!

Acredita que o amor do teu filho ou da tua filha é o suficiente para lutares.

Não abandones o futuro dele ou dela.

Não deixes uma marca irreparável na mente e no coração deles.

A figura de um pai ou de uma mãe é tida como um exemplo.

És o Herói ou a Heroína dele ou dela e tu sabes.

O primeiro passo já o deste, sabias?

Foi aquele em que te deste conta que a tua tristeza não é normal e percebeste que te encontras doente.

Acreditas que existem depressivos que não chegam nunca a saber?

Porque entregam toda a culpa à má sorte na vida e assim vão vivendo.

Mas tu fizeste diferente!

Tu sabes que te encontras doente!

Então…

O que esperas para pedir ajuda?

Ou aceitares a ajuda que chega até ti?

Sei que o depressivo por vezes não pede ajuda por medo. Devido ao preconceito da própria família.

O depressivo tem medo de falhar. Tem medo de desiludir os seus pais, a sua família, os seus amigos.

Por isso esconde e não fala do que sente verdadeiramente.

Sei que a parte mais difícil do vosso dia é levantarem-se da cama. Ficam a pensar em todas as coisas que tem que fazer e não conseguem sossegar a mente e em cada uma delas, só visualizam uma coisa.

O fracasso!

E é por isso que desistem de tentar. Porque em suas mentes, acreditam que, se não se levantarem, não terão que lidar com

a insegurança, o medo e a frustração por tentarem mais uma vez o sentimento do fracasso.

Não querem simplesmente sofrer!

A pressão que muitas das vezes sentem em se tornarem num orgulho para seus pais, deixa-os sem reação perante a vida, por se sentirem

permanentes falhados.

E é aqui que eu falo por mim, como mãe defilhada que sou de um filho que se entregou à depressão, que não importa o numero de vezes que vocês falhem em vários aspetos da vossa vida, porque o que realmente importa é o de estarem vivos. O que realmente importa é que vocês tentaram e mesmo assim não desistiram de tentar.

Nenhuma mãe quer ler…

“Desculpa mãe por não ter conseguido vencer todos os meus medos e receios perante uma vida cheia de sonhos como de fracassos, onde eu só queria que tivesses orgulho de mim.”

“Desculpa mãe! Eu tentei, mas não consegui!” 

Falo por mim quando digo, que eu só queria ter o meu filho aqui comigo de modo a poder ajudar.

E mesmo, sabendo que podia contar comigo, não quis ser ajudado, escolhendo a morte como caminho só para não me magoar.

Irónico não?

Com carinho,

A mãe do meu filho tem asas.

Rute Reis Figuinha

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *