Saudade

Hoje recusei-me

Parece-me que as palavras nunca me vão faltar. Se estou parada ou a conduzir o pensamento e os textos que teimo em escrever assaltam-me à memória com um turbilhão de sentimentos.
Hoje recusei-me!
Recusei-me a olhar para o maldito prédio que te colheu a vida.
Tudo fiz para manter os olhos fixos nas gotas da chuva que caem sobre o pára brisas do carro.
Só há bem pouco tempo me dei conta que por mais voltas que dê para entrar na vila, deparo-me sempre com aquele maldito mono de tijolo e cimento no topo da encosta da vila, sorrindo para mim e lembrando-me, “Estou aqui e ficarei, não te darei descanso porque aqui colhi o que mais de precioso o teu filho tinha.”
A SUA VIDA!
Maldita construção inacabada repleta de más memórias e de uma dura realidade que é a de não estares mais aqui comigo.
Mas hoje esforcei-me!
Acredita que é uma luta diária e constante em nossas vidas.
Esforçamo-nos por continuar.
Depois acabo por constatar que nada me vale não ver o maldito escombro.
Tenho-o gravado na minha mente como tenho gravado a imagem do teu rosto.
A manhã de hoje acordou a chorar e eu com ela sem energia.
Mas logo chega um pequeno detalhe, um rosto amigo e obrigo-me a sorrir.
Sim! Obrigo-me!
Não quero que tenham pena de mim!
Eu consigo, consigo sim! Sobreviver a mais este tombo na minha vida.
Recuso-me a não reagir. Não era isso que tu querias! Sempre tiveste uma palavra de conforto quando também a mãe precisou. E sempre que olhavas para mim e me vias mais parada, perguntavas se eu estava bem e incentivavas-me a retomar as minhas aulas particulares de zumba em casa ou retomar o Reiki.
Sou-te grata por isso meu amor. Porque mesmo na tua dor invisível para todos, tinhas tempo para mim.
No final do dia de hoje, pensei que havia conseguido, mas os olhos atraiçoaram-me e por entre o edifício da Chemina voltei a colocar os olhos sobre o maldito!
Maldito sejas!
Maldito sejas!
Maldito escombro!
Amo-te muito sabias?
Nunca esquecerei o que foste para mim. 💙
Amo-te imenso Pedrocas.

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *