Amor, Morte, Pedro, Saudade, Tristeza

Fazes-me falta!

Fazes-me falta!

Sinto falta do teu cheiro a banhinho tomado, sinto falta do teu cheiro suado depois de um treino. Sinto falta da tua voz a chamar por mim ou a termos aquelas conversas demoradas das quais eu gostava tanto.

Sinto falta do teu beijo. Sinto falta do teu abraço apertado. Sinto falta de te ver sorrir e de ouvir a tua gargalhada. Sinto falta de te ver dormir, na posição que mais gostavas.

Sinto falta de te ouvir dizer “Mãe vou dar uns toques na bola”.

Sinto falta de ouvir da tua boca um “Amo-te mãe”.

Ai Pedrocas, quanta falta tu me fazes e nem te dás conta.

Não fazias ideia pois não? Que iria detestar e amargar a tua decisão até ao resto da minha vida.

Não fazias ideia pois não? Que iríamos ter tantas saudades tuas.

Não fazias ideia pois não? Que iríamos desejar nunca ter acontecido aquele dia nas nossas vidas e todos os que vieram e virão a seguir, sem a tua companhia.

Como eu desejava que mesmo através de um véu eu te pudesse ver, sem tocar. Já me contentava tanto meu filho. saber que não era algures, mas sim do meu lado, separados por um véu eu te pudesse ver.

Como eu adorava ouvir-te falar ao meu ouvido, todas as respostas às questões que te faço. A tudo o que eu te digo.

Fazes-me falta!

E a falta que tu me fazes, tu nem te dás conta.

Ontem mesmo enquanto fazia o jantar, o Kiko veio se juntar a mim para me ajudar. Eu ouvindo música e dançando, ele aproxima-se de mim e abraça-me.

Dançámos.

Dançamos, como eu dançava contigo. Como eu dancei contigo, quando tinhas a idade do mano.

A dor naquele momento apoderou-se de mim e eu fiquei com a garganta fechada sem conseguir engolir ou respirar.

Tive que me concentrar e dizer-me mentalmente: “Tem calma Rute, é o Kiko que está a dançar contigo e não o Pedro. Vive este momento”. E apaguei-te por breves minutos e dediquei-me somente ao teu irmão Francisco. Ele merece o meu amor como tu já o mereceste e continuas a merecer, mesmo depois de morto.

Fazes-me falta!

Sinto a falta do teu canto, sinto falta do entoar da tua voz que se unia à minha numa melodia de encantar.

Sinto falta de te ouvir tocar a musica do Titanic na tua flauta que tão bem tocavas.

Sinto falta de tudo em ti e tenho saudades de tudo o que eras para mim Filhote.

Com um peso enorme no coração, porque nem todos os dias são fáceis de levar sem a tua presença.

Amo-te meu amor e sempre te amarei.

Com saudade,

A mãe do meu filho tem asas

 

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *