Amor Esperança Gratidão Luto Pedro Saudade Tristeza

És um anjo que tenho no céu

Meu amor.

És um anjo que tenho no céu.

E o céu está tão perto que o consigo olhar, só não o consigo tocar.

O céu está tão perto de mim que sonho o poder agarrar.

Queria demais ter-te aqui e sonho com o dia em que te voltarei a abraçar.

Não é da morte que falo, porque dessa não tenho saudade, nem quero voltar a vê-la.

Falo da saudade.

A saudade de te beijar.

A saudade de te abraçar.

A saudade de te cheirar.

É desta saudade que me alimenta este corpo dorido de tanta ausência.

A minha vida mudou

Foi no teu olhar, ali já sem vida que a minha vida mudou para sempre.

Foi no teu corpo todo dorido que o meu mundo desabou.

Tanta mágoa!

Tanta dor!

Uma ferida aberta sem direito a recuperação.

Mas eu não desistirei!

Por ti! Por mim! Pelos teus manos! Pelo teu pai!

Eu me levantarei e cairei as vezes que forem necessárias.

Porque eu acredito na vida!

Acredito no amor!

Mas viverei!

Vivo a dor todos os dias.

Vivo a tua ausência a cada segundo que o meu coração bate e o ar entra nos meus pulmões.

Meu amor!

Deposita o teu amor em mim. Faz de mim o teu instrumento para reparares tudo o que gostarias de ter feito e não conseguiste, na vida que te foi concedida e da qual abriste mão.

Não te posso dar a minha vida, mas posso dar-te a minha alma.

Por livre vontade!

Que assim seja!

Ela é tua se assim quiseres!

Todos os dias tenho momentos

Hoje joguei por duas horas futebol meu amor. Defendi a baliza, brinquei com aqueles rapazes todos e o meu pensamento era somente um.

O meu Pedro onde estiver, se conseguir escutar os meus gritos e observar o que faço, estará certamente feliz.

Ao ponto de dois dos meninos me dizerem:

“Rute, pareces uma criança!”

Não lhes disse que esse era o poder que eles exerciam em mim.

Disse-lhes somente que tenho uma criança dentro de mim que não me deixa adormecer.

Respondi-lhes no final que sou como Peter Pan.

“A criança que nunca envelhece”

São estas as injecções meu amor!

São estas as injecções que me fazem renascer.

Onde o poder do amor tudo pode

Hoje meu amor, ainda fui dar um enorme beijo nas minhas gémeas.

Fui beijar os meus sobrinhos de coração.

Fui receber deles todos o amor que partilho com eles cada vez que os vejo.

Fui amar-me!

Como?

Eu digo-te!

Hoje pela primeira vez vi a minha Moranguinho e a minha pipoquinha doce caminharem de braços abertos para mim.

Havias de ter visto!

Ias ficar maravilhado porque sei o quanto amavas as crianças.

Ia poder ver o teu sorriso rasgado e o teu olhar a brilhar rendido pelas doçuras que elas são.

Se só por uns instantes tivesses visto as minhas gémeas caminharem para mim envoltas de uma alegria enorme só de me verem. E o calor que eu recebi delas enquanto encostavam seus rostos e cabecinhas no meu peito, enquanto me abraçavam.

Amei! Amo! E Amarei para sempre estas crianças que são minhas de coração!

Grata por fazerem parte da minha vida.

Amo-vos Maria Inês e Carolina!

Amo-vos Gustavo e Francisca!

A ti Pedrocas, amar-te-ei eternamente!

A mãe do meu filho tem asas

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *