Auto-ajuda Esperança

Encontra o teu rumo

Eu quero!

Eu posso!

Eu consigo!

São três frases que impele-me a seguir com toda a minha convicção e empenho. Os momentos que eu passo no dia-a-dia são por vezes complicados mesmo com todas as distracções que tenho.

Mas eu não desisto!

Não posso, entendem? E é por isso que faço as coisas à minha maneira.

O que eu quero dizer com isto? É Simples!

É importante adoptares um rumo ao contrário, ou seja, deixares de fazer o que habitualmente fazes, da forma que o fazes, e passares a fazer de forma diferente. Quebrar a rotina e não dar nada por garantido. Porque uma coisa aprendi com a morte do meu filho, nada nem ninguém é garantido nas nossas vidas.

Pensa comigo.

Se seguires um grupo de pessoas, irás estar a seguir o que elas conseguem e o que desejam e não o teu verdadeiro desejo. Fazer e seguires o que gostas e desejas sem te importares com a opinião dos outros, é o que te vai definir na originalidade dos teus passos, na tua pegada.

Nem sempre pensei assim, mas é urgente fazer diferente. Porquê?

Para te sentires melhor contigo mesma e com a devida serenidade encontrares ou seguires com empenho o teu propósito de vida.

Não deves limitar-te a fazer algo, só porque outras pessoas o fazem. Deves sim fazer algo que te preencha verdadeiramente. O que for mais certo para ti, encontrando uma forma sábia de viver.

Lembra-te!

Aqueles a quem os leigos chamam de loucos, são na realidade as pessoas mais completas, realizadas e felizes à face da terra, porque no seu modo de caminhar encontraram o equilíbrio certo de viverem uma vida despreocupada e a leste do preconceito.

Pensa nisso!

Dizer não é importante, tanto quanto urgente! Não se trata de um acto de egoísmo mas sim de um acto heróico. Se a tua mente te diz para não fazeres ou não aceitares tal acontecimento, porque te contrarias?

Não o faças!

Passa a imperar também a tua vontade! O dizer não sempre que queiras, mas atenção, não os digas também em demasia, senão podes correr o risco de olhares ao teu redor e dares-te conta que não tens mais ninguém com quem contar. E só me resta aconselhar-te a analisar melhor o teu modo de caminhar se vires isso acontecer.

Com carinho,

A mãe do meu filho tem asas

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *