Amor

Dividida entre o céu e a terra.

Hoje o teu irmão fez a sua promessa de Pioneiro no Agrupamento 513 de Alenquer.
Uma homenagem a ti meu Pedrocas.
Há um ano e pouco atrás o teu irmão Davi abordava-nos em casa com o retorno ao escutismo. Ele precisava estar no coração do escutismo, sentir de novo a adrenalina no corpo que é sentida na maioria das actividades.
Que sentia bem dentro dele essa necessidade. Que sentia que te iria fazer muito feliz. Algo que tanto desejavas.
Voltar a fazer escutismo em Alenquer. Um projecto que tinham em conjunto depois da AEP em Alenquer, fechar.
Não vou dizer que foi um assunto fácil.
Sem paciência! Sem foco na vida, naquele momento, pois havíamos ficado sem ti hà muito pouco tempo.
Mas o mano Davi, foi semeando essa semente, e na altura, quando me consciencializei que a vida tinha de seguir para os que ficaram… Não podia ignorar um pedido do teu irmão. Mais a mais em tua memória.
O dia chegou!
Hoje. Dia 05 de Junho de 2021.
Precisamente no dia em que há dois anos atrás estarias tu a fazer o teu Crisma em Ota, onde acabarias por ser velado 6 dias antes.
Deixa-me a pensar.
Ele há coisas, que não conseguimos explicar.
O mano homenageou-te Pedrocas, com muito amor e muita saudade.
Estava tão feliz, por ter novamente um lenço ao pescoço, e o teu pai por o filho ter o lenço dele. Um lenço com mais de 30 anos.
Novamente tive sensações agridoces.
Principalmente no momento da tua promessa e do compromisso do teu padrinho, que com imenso gosto, escolheste o teu pai.
Chorei.
Não aguentei a emoção de vos ver na frente.
Chorei perante o vosso abraço.
Choro agora enquanto escrevo este texto.
É impossível não me emocionar.
Isto porque para uns pais defilhados, não há o parar.
Existem outros filhos para ajudarmos a caminhar. E mesmo que nos doa.
Irá certamente doer mais se deixarmos passar os momentos importantes para os nossos filhos que permanecem vivos e com o mesmo direito do seu irmão que partiu.
Chorei e sorri.
Mas senti no meu coração que fiz o que devia ter feito.
O teu mano Francisco não conseguiu ir.
Chorou imenso agarrado a mim e pediu-me para não o obrigar.
Ao tentar entender, ele a soluçar dizia não conseguir partilhar esse momento com o mano Davi, porque sempre conhecera o escutismo com os dois irmãos juntos. E não conseguia ver o mano Davi fazer a sua promessa, sabendo que o mano Pedro iria querer lá estar.
Pedi-lhe para se sentar no meu colo, e deixei-o chorar. Disse-lhe que o entendia tão bem e que o meu sentimento era igual. Parte de mim não queria estar perante essa realidade e a outra parte não queria perder mais uma conquista de um filho meu.
Sosseguei-lhe o coração!
– Não precisas de ir meu amor. Acalma o teu coração. Sei exatamente o que estás a sentir e falarei ao mano Davi a razão.
– Eu queria o mano Pedro aqui mãe, e ele devia estar junto com o mano Davi a fazerem a promessa como em outros tempos. – soluçava ele enquanto falava.
– Eu sei meu amor. Eu partilho da tua opinião. Agora sossega. A mãe não te obriga a ir.
Levantei-me, pedi-lhe para lavar o rosto e deixei-o na casa de um amigo, depois de explicar a situação.

Quanto a ti meu Davi. Parabéns meu amor 💙.
Que orgulho tenho em ti.

Amo-vos aos três Pedro, mas o teus irmãos
Precisam mais de mim aqui do que tu no céu.

Com saudade
A mãe do meu filho tem asas

– Rute Reis Figuinha –

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *