Amor Esperança Pais Pedro

Coloca no caderno as tuas frustrações e não desistas

Olá!

Hoje escrevo para ti.

Sabes como me chamo?

Rute.

Sabes quem eu sou?

Sou a mãe de três maravilhosos meninos.

O Pedro com 18 anos e 364 dias, o David com 17 anos e o Francisco com apenas 8 anos.

Sabes porque te escrevo?

Porque tu és importante!

Porque há quem te ame, mesmo que não o entendas nos teus momentos mais tristes.

Hoje sou eu quem está aqui, para te dizer e pedir que não desistas dos teus sonhos, que não desistas de ti.

Sou a mãe do meu filho tem asas. Um filho que desistiu de sonhar, de caminhar com o seu próprio pé e que de uma certa forma ganhou asas.

Ele adoeceu com depressão, é o que os médicos me dizem, porque tudo o que encontrava pela sua frente eram só desilusões que ele acreditava não ter forças para ultrapassar.

Ele não nos deu sinais, não que fossem identificados por nós. Mas tu dás e é por isso que eu te escrevo este texto.

De uma forma activa ou passiva ele pede-me para te dirigir estas palavras.

Antes mesmo de começar a escreve-las pedi-lhe orientação e ele deu-ma.

A forma mais correta de enfrentares as situações que consideras demasiado difíceis é a de não fugires delas. O que eu te quero dizer com isto, é que deves procurar sempre alguém para falares das mesmas.

Os teus pais, se de alguma forma pensares que a vossa relação não é das melhores, ou sequer acreditares que nem te vão ouvir.

Pára!

Pensa com o coração por favor! Esfria o pensamento e depois com mais calma pede aos dois ou a um só para te olhar nos olhos e permite que vejam que estás a sofrer.

Faz um esforço e abre-lhes o teu coração.

Pede ajuda!

Se assim mesmo, não for possível não desistas.

Pede ajuda na tua escola. Procura o apoio psicológico que lá existe e abre o teu coração acerca dos problemas que te afligem e que te sugam a energia.

A psicóloga da escola vai saber como actuar. É muito importante estares também tu alerta para os sinais de tristeza, frustração, de rebeldia, de indignação e desmotivação, por tudo o que gostavas muito de fazer antes.

Não desistas de ti, nem de te obrigares a acordar.

Agarra num caderno para que nele possas sempre deitar para fora da tua mente tudo o que o teu coração não consegue gerir, tudo o que te angustia. Para que nada deixe de ser dito.

Se o teu diálogo com os teus pais for complicado, deixa-lhes o caderno onde o possam ver e ler, o que te preocupa.

Eles amam-te acima de qualquer coisa e farão tudo o que estiver ao seu alcance para te ver feliz. Mas tu não podes desistir de tentar.

Os problemas não se resolvem sozinhos e é urgente falar deles.

Se não falares vais adoecer.

Acredita que podes fazer diferente! Que tu és capaz!

Deixo-te um enorme beijinho e desafio-te a escreveres o teu primeiro texto.

Eu acredito em ti e tu também!

Com carinho,

A mãe do meu filho tem asas.

Quanto a ti filhote, obrigada pela inspiração do texto,

Amo-te muito.

Foto de Rute Reis Figuinha

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *