Depressão Morte Sociedade Suicídio

As piadas com sarcasmo doentio!

No outro dia ao passar por um senhor que outrora havia sido meu cliente na Vodafone e mais tarde na NOS, cumprimentei-o e perguntei como estava.
No meio de algumas perguntas e respostas que fizemos e demos um ao outro, ele achou que teria piada em algo que voltou atrás para me dizer.
Sr. – ” Já viu aquela senhora que se jogou porque estava cansada de viver?”
Eu – Como assim? (Perguntei eu.)
Continuou…
Sr. – Está por todo o lado nos jornais, revistas, por todo o lado.
Eu – (Interrompi, alarmada) – Não vi nada, nem li nada acerca do mesmo.
E continuando disse:
Sr. – Veja bem, uma mulher de 40 anos que se jogou do 10º andar.
Eu – Como assim? Onde? Aqui no nosso concelho?
Sr. – Não sei concretamente de onde é, mas é sim, de perto.
Eu – Ai! Sr. (e referi o seu nome). Não me diga essas coisas. Meu Deus! Mais uma família destroçada. (e continuei a fazer o que estava a fazer.
E neste preciso momento o Sr. vem atrás de mim e tocando-me no ombro e de sorriso rasgado diz:
Sr. – Estava na brincadeira! Era uma piada!

Fiquei incrédula! Haviam de ter visto a expressão do meu rosto.

No meio da sua explicação, onde julgaria que eu me iria rir, voltou-se para seguir o seu trajeto. Mas eu não o deixei ir de consciência tranquila, se é que a têm. (a consciência)
Desta vez fui eu a bater-lhe no ombro e a dizer-lhe:

Eu – Sr. (e referi o seu nome) não deixando de referir que é uma péssima piada e de extremo mau gosto, devo-lhe dizer ainda que escolheu a pior pessoa a quem contar.
O Sr. (e volto a referir o seu nome) sabe bem, que perdi o meu filho mais velho para o suicídio. Não devia andar por aí a fazer piadas muito tristes acerca de fins tão trágicos, os quais tocam no sofrimento humano.
Tenha mais respeito!

E ele meio atrapalhado reagiu:
Sr. – “Há pois é, Rute! Desculpe!”Não foi minha intensão. Pois é, vocês perderam o vosso menino mais velho assim.
Queria somente, contar-lhe uma piada e nem pensei.
Mas sabe… Aqui há uns belos anos, ali mesmo no carregado, isto aconteceu mesmo.
Já nem sei precisar há quanto tempo, nem quem era sua família. Mas aconteceu.

E meio atrapalhado, lá seguiu o seu caminho.
Fiquei lamentando o momento.
É triste não é?
Pensar que existem pessoas que fazem piadas de muito mau gosto com a vida dos outros, com o sofrimento dos outros, e pensar que esta não terá sido a primeira vez que contou tal piada.
Um homem com oitenta e poucos anos, já deveria saber o que deve ser ou não dito. Ou será que não?
Episódio triste este!

Falta de empatia e desrespeito pelo sofrimento do próximo.

Com indignação,

A mãe do meu filho tem asas

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

5 Comments

  1. Por vezes acontecem piadas de mau gosto. Quem as diz não terá a intenção de ofender e/ou magoar. Mas por vezes, o/ destinatário/a não é a pessoa certa.

    Cumprimentos

    1. Rute Reis Figuinha says:

      Olá Sr Ricardo, até poderia aceitar essa justificação se a piada fosse diferente. Agora uma piada sobre suicídio, um assunto tão utilizado no mundo infelizmente. Penso que deveriam ter mais respeito isso sim.
      Fazem piadas tão macabras porque nunca lhes bateu à porta.

  2. antonio fusto says:

    olá
    Eu chamo-me António fusto e vivo na póvoa de varzim,porto.
    provavelmente não irá ver o meu comentário mas mesmo assim vou escrever.
    Eu tenho uma compaixão enorme pelas pessoas que tiraram a própria vida, só as pessoas boas se matam. Infelizmente eu já tentei e quase seria consumado. Desisti saindo do carro porque eu queria viver infelizmente eu sei que irei morrer pelo suicidio mas não sei quando. Quando a melhor coisa que descobrimos é a morte nós queremos viver mas quando a pior coisa que descobrimos é a vida existêncial nesse momento a pessoa deseja morrer.

    1. antonio fusto says:

      *quando a pior coisa que descobrimos é a morte

    2. Rute Reis Figuinha says:

      António lamento imenso o seu sofrimento interno. Já pediu ajuda?
      Já foi ouvido? Ajudado?
      Estou aqui se precisar.
      Um grande abraço para si.
      E lute! Lute muito porque a vida é um milagre que deve ser mantido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *