Luto Morte Pais Pedro

Aquilo em que acreditares, é o que a vida te vai dar

Aquilo em que acreditares, é o que a vida te vai dar

Já viram o quão contraditória esta frase pode ser?

Passamos uma vida inteira a receber estímulos para acreditar na energia positiva, no poder da mente, no que propagamos ao Universo, o que desejamos no nosso coração.

Agora pergunto:

Vão dizer-me que todas as mães e pais que perderam os seus filhos, desejaram realmente perdê-los?

Estamos todos loucos? É isso?

Eu nunca desejei a morte de um filho e muito menos acreditei que me fosse alguma vez retirado de uma forma tão surreal e trágica como foi.

Não me interpretem mal, mas o que pode um pai ou uma mãe esperar da vida quando sofremos uma aniquilação destas?

Nada nisto é justo!

Nada aqui está correto!

Tornamo-nos mais fortes!

Mas o que somos nós afinal?

Máquinas?

Mais fortes para quê?

O ser humano não deveria ser delicado? Sensível? Normal?

NORMAL!

E que raio significa isto afinal?

Ah! espera.

Somos ser normais que buscamos a todo o instante pela perfeição, que procuramos a todo o momento a aceitação.

Mas alguém consegue verdadeiramente aceitar a morte de um filho?

Hoje estou lixada! Não estou amargurada!

Estou Foxxxx mesmo!

Quem ousa mesmo proferir as palavras como se de um disco riscado se tratasse:

“O que não te mata, torna-te mais forte.”

“Se sobreviveste à morte de um filho, consegues sobreviver a tudo.”

“Se Deus quis que o teu filho morresse é porque quis te colocar à prova.”

“Deus escolhe sempre as flores mais bonitas do seu jardim.”

“Deus leva sempre primeiro as pessoas boas e puras.”

“Deus escreve direito por linhas tortas.”

“Este é o teu destino, tens que o aceitar.”

LOUCOS!

Loucura total é o que penso de quem ousa proferir tais frases.

Desconhecimento total sobre a morte de alguém tão nosso.

Com indignação,

A mãe do meu filho tem asas.

Foto de Rute Reis Figuinha

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *