Amor, Luto, Morte, Pais, Pedro, Saudade, Tristeza

9 meses sem ti

Há algo que vejo nos olhos de todas as mães que conheço neste caminho com altos e baixos que levo desde a morte do meu filho Pedro.

Tristeza, saudade, mágoa profunda, uma dor interminável.

Não! Não sou a única a vê-lo, a senti-lo.

Se olhares com o teu coração, irás ver e sentir também.

Essas mães, tal como eu, envelheceram, por dentro e por fora.

Mas deixa-me falar-te de que dia é hoje.

Sabes que dia é hoje filhote?

É o dia em que completas mais um mês de ausência física nas nossas vidas. Para te ser mais concreta, 9 meses de uma luta constante que me obriga a respirar, a comer, a lutar pelo que eu acredito, mesmo com esta dor que me carregada o peito e me tenta derrubar a cada instante de saudades que tenho tuas meu amor.

9 meses, em que se fosse em outra altura da minha vida, eu estaria desejando conhecer-te, contemplar-te, mimar-te, amar-te acompanhar-te em todos os dias da tua a vida até ao dia da minha morte e não ao contrário. Mas não é dessa altura que falo neste texto.

Estes 9 meses são de saudades e não de contemplação.

Saudades terríveis que vivo desde o dia 24 de Maio de 2019 Pedro.

9 meses envoltos de muitos sentimentos em que unicamente me assalta na mente um único nome.

Pedro!

9 Meses em que fui obrigada a desistir de muitos sonhos que tinha contigo, de muitos projectos que fizemos juntos. Quem me dera ter o poder de te fazer nascer somente por mais um dia. Ter esse poder, bastaria para eu trocar de lugar contigo.

Trocaria sim filhote!

Trocaria!

Eu já vivi! Coisa pouca, mas vivi!

Já tu…não posso dizer a mesma coisa.

Por isso sim!

Trocaria de lugar contigo.

Tenho tantas saudades tuas filhote. Sinto tanto a falta da tua voz aqui por casa.

9 Meses filhote!

9 Meses, que é o tempo necessário para uma mãe carregar dentro do seu ventre uma nova vida que em breve partilhará com o mundo.

Já eu…Vejo-me como uma mãe que voltou a ter o seu filho dentro do seu corpo em que a única diferença é que o passarei abraçar de modo espiritual.

Amo-te e vou amar-te para sempre.

Com uma terrível saudade,

A mãe do meu filho tem asas

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *