Amor Esperança Gratidão

Saudades do meu tempo de criança

Quero voltar ao meu tempo de criança

Em que tudo era esperança e me fazia querer esperar pelo dia de amanhã.

Quero ter novamente 9 anos onde só conhecia o amor de uma maneira, passado pelo meu avô e os meus tios.

Quero voltar a ir para escola com o meu avô pela minha mão sempre a dar-me conselhos para que o dia corresse bem.

Quero voltar ao meu tempo de criança onde a minha vontade era tantas vezes contrariada e eu não entedia que era para meu bem.

Hoje sei que…

A vida só pode ser compreendida da frente para trás…mas tem que ser vivida de trás para a frente.

Ficam tantos projectos pelo caminho porque não podemos fazer tudo de uma vez. Mas existem sonhos que permanecem  inalterados e são esses que nos mantem agarrados ao prazer de viver.

Tenho saudades do meu tempo de criança e de jovem adolescente em que os meus únicos problemas eram as desavenças na escola com este ou aquele colega ou porque algum professor me havia castigado.

Tenho saudades do meu tempo de estudande que não soube na altura aproveitar convenientemente.

Um tempo em que não me tinha que preocupar com nada a não ser comer, dormir, estudar e ainda ter tempo para brincar.

Há… Caramba!

Que raio de desejo o nosso enquanto crianças que só desejamos ver o tempo passar ate chegarem os 18 anos.

Queremos a maior idade e depois não sabemos o que fazer quando ela chega.

Mais problemas, mais desamores,  tristezas e na maioria das vezes uma cabeça cheia de névoa e preocupações.

Que saudades tenho do tempo de criança em que acreditava que a vida era feita de histórias encantadas onde eu me imaginava muitas das vezes uma cinderela. Em que calçava os sapatos de salto alto da minha mãe/tia e pintava os lábios com os batons vermelhos dela e dançava ou desfilava em frente a um espelho.

Hoje não é mais assim!

Crescemos e com o passar do tempo vamos ganhando responsabilidades que nem sabemos o que elas comportam.

Se calhar ganhando não é a palavra certa mas sim, sendo impostas pela sociedade onde vivemos.

Passamos a ter a responsabilidade que um dia tiveram os nossos pais quando nós nascemos.

A preocupação acresce cada vez mais com o passar dos anos e quando chegamos a velhinhos essa responsabilidade ė-nos tirada completamente porque muitos de nós não iremos ter capacidade para gerir tudo como antigamente.

Que saudades tenho do meu tempo de criança, que é para Vós difícil  de imaginar.

Que saudades de todas as pessoas que fizeram parte dessa parte da minha história.

Saudades é mesmo uma palavra intensa na vida de qualquer um, e só lhe damos o devido valor quando olhamos para trás na vida e fazemos um somatório de tudo o que tivemos, de tudo o que perdemos e de tudo o que  temos nos dias de hoje.

Saudades de mim ainda menina!

Saudades de tudo o que ficou para trás!

Quero voltar ao meu tempo de criança quando o sofrimento não tinha o peso que hoje têm.

Mas agradeço!

Não agradeço a morte do meu filho. Essa na verdade detesto! Mas quis a vida que eu passasse por isto.

Agradeço tudo o que vivi e no que me tornou enquanto pessoa.

Agradeço porque tenho uma história que me enche a memória.

Vivi e viverei agradecendo tudo o que sou e serei no futuro.

Com saudade,

A mãe do meu filho tem asas

Rute Reis Figuinha

O meu nome, Mãe.
Sou uma mãe de três filhos em que dois vivem comigo no plano terrestre e o mais velho de apenas 18 anos e 364 dias resolveu ir viver para o plano espiritual o resto da minha vida.
Somos uma família de cinco e seremos para todo o sempre.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *